terça-feira, 24 de junho de 2008

Grandes insetos? *





Uma manhã, ao despertar de sonhos inquietantes, Gregor Samsa deu por si na cama, transformando num gigantesco inseto. Sente-se magoado pela repulsa dos pais perante a sua metamorfose, apenas a irmã se digna a levar-lhe alimentação. Após meses de abandono e medro, Gregor morre na solidão. Atualmente, mesmo após a 1ª e 2ª Guerras Mundiais, chacinas étnicas de todas espécies continuam a colocar uma parcela de pessoas à margem da sociedades.

O Simples reconhecimento dos direitos humanos, a campanha pela diversidade não contribuem efetivamente para a garantia de igualdade entre as etnias. Os instrumentos legais e formais não têm sido suficientes para que seja extinta toda a sorte de desigualdade e descriminações raciais. É péssima a proposta de se desenvolver a criação de incentivos fiscais a empresas que contratarem uma parcela excluída, constituindo mais confrontos e clima claustrofóbicos, profundos sentidos de desqualificação, animalização.

A igualdade e o respeito às diferenças são de extrema relevância para a concretização dos direitos humanos, mas como consegui-la? A educação pública de qualidade deveria ser vigente desde o ensino fundamental para garantir melhor qualificação profissional e a qualquer cidadão, sendo esse respeitado pelo merecimento. No entanto a diferença entre pessoas e povos cai na indiferença, determinando privilégios de uns em detrimento de outros. Conseqüência? Desigualdade naturalizada, como se fossem destinos, fatalidades...como designações de mulheres frágeis, negros preguiçosos, cristalizando a estrutura social.

É preciso garantir a convivência populacional como um direito da humanidade. No México, a COCEI promove defesa dos direitos legais combinados a novas formas de cidadania, transforma bairros, trabalho e festas em lugares de discussões políticas intensas, redefinindo alianças e culturas a partir do cotidiano. É claro que essa prática gera conflitos. A nova cidadania é um projeto para uma nova sociabilidade, com relações igualitárias, regras transparentes, negociação de conflitos e responsabilização com a “coisa pública”.

Logo, deve se garantir a alimentação do monitoramento das instituições públicas e privadas, num amplo diálogo com a sociedade civil, para que não sejamos imensos insetos com subconvivências e posterior morte da cidadania, igualdade e diversidades sócio-raciais.


1 Comentou. Comente você também.:

Báá disse...

Onde estará os direitos autorais da namorada?! HAEUheauhaueahu
Adorei a foto relacionada ao texto =D
Ademaaaaaaaais,não adianta vc precisa de tradução minha mesmo =/ Tem umas 4 palavras que não são as q escrevi =( Snif snig...principalmente no penultimo paragrafo na primeira linha,corrige lá pq fico sem sentido, a frase real é: "É preciso garantir a CONVIVENCIA populacional ..." ainda no mesmo aprágrafo é "RELAÇOES igualitárias",se não, fica sem sentidoooooo =p
De resto, to com saudade ;*:
Amo voce!
Beijos!