segunda-feira, 18 de maio de 2009

Saudades do meu cachorro.





Procuro sempre deixa o blog impessoal, para evitar que seja um diário pessoal mesmo. Porém hoje vou abrir uma exceção e fazer um post pessoal.

Há pouco mais de 14 ganhamos um filhotinho de um casal de amigos de meus pais. Era um filhote de basset, que veio contra a vontade de minha mãe, já que meu irmão mais novo tinha alergia principalmente de pêlos.

Do tamanho de um rato foi conquistando todos aqui em casa, sempre muito inteligente e esperto, Piter, o nome que demos ao filhote foi crescendo e cativando todos. Era dócil e carinhoso a qualquer outra pessoa que chegava com a gente aqui em casa.
Com o tempo era praticamente um membro da família, quando íamos viajar, e deixávamos ele na casa de algum parente, na volta, quando pegávamos o Piter, ele ficava sem brincar conosco pelo menos por uns dias, como se tivesse ignorando nos por não ter levado ele para o lugar.

Piter foi um cachorro feliz, sem criança em casa reinava com seu carinho por todos, via alguém colocando alguma coisa na bola, logo latia e olhava com uma cara de pidão que se você não parasse de olhar, você não resistiria e repartia o que estava comendo.

Não gostava de criança, acredito que devia ser ciúmes, já que as crianças quando vinham, tinham toda nossa atenção e o deixávamos de lado, porém quando teve outros dois cachorros que adotamos filhote, não teve ciúmes, pelo contrário os adotou como um “pai” mesmo sendo de raça completamente diferente.

O tempo castiga todos nós e não ia deixar o Piter ileso, então com ele, começou a vir os pelos brancos por todo o rosto (como podem ver na foto do post) , e a obesidade também, já que sua visícula deixou de funcionar perfeitamente, porém era cuidado por nós perfeitamente. O tempo só não tirou dele todo amor e dedicação que sempre teve por nós e por pessoas próximas, mesmo já bem velhote, quando tocava o interfone, ele já postava no portão dando alguns latidos e abanando o rabo se fosse conhecido, essa recepção acalourada durou os 14 anos de vida dele, se falhou algum dia, foi porque estava adoecido.

Nos últimos meses ele vinha mais quieto, mais cansado, dormindo em pé, bebendo bastante água, porém não tínhamos o que reclamar, apenas tentávamos fazer com quem ficasse bem com a idade já avançada.

Só que por um acidente, na ultima sexta , Piter acabou do nada entrando debaixo da roda do carro quando meu pai estava chegando, não chegou a passar por cima, porém encostou e ele estava do lado. Mais que rápido meus pais levaram ele no veterinário, contudo, não teve como e acabou por morrer quando chegou lá.

Todos aqui ficaram bastante tristes, sem exceção , principalmente meu pai , já que era o que mais ficava com o Piter ultimamente, e ficou uma coisa esquisita, pois mesmo fazendo poucos dias, parece que quando chegamos ele vem ainda devagar, abanando o rabo e latindo olhando com aquela cara de que queria alguma coisa, e não pedindo nada em troca.

Hoje tenho certeza que ele deve estar numa melhor, porém aqui para gente faz uma falta imensa.

Sempre fui cético quanto a cachorro, mas hoje não posso negar que o cachorro realmente é o melhor amigo do homem,e como diz meu pai, o Piter não precisava falar, pois já o entendiamos.

Quem aqui já teve um cachorro , sabe o que estou dizendo, quem não teve, não tenha medo e adote , compre ou ganhe um, você verá que será diferente com aquela criaturinha do seu lado.

E encerrando a homenagem ao amigo meu que se foi, vou usar uma frase que li esses dias e gostei.

"Um cão é a única coisa na terra que o ama mais do que ama a sí mesmo."
( Josh Billings )



Saudades Piter.


3 Comentou. Comente você também.:

Bruna Braga disse...

amei o post!

tbm perdi um grande amigo.meu cachorrinho nos deixou e com certeza, faço de algumas das palavras acima, as minhas.Meu cachorro, chamado bebe, viveu os 8 anos de sua vida cheio de amor e carinho e por motivos de uma leptosprose ele acabou adoecendo e nos deixando, e ate o ultimo momento naum deixamos de dar a assistência que ele merecia!

realmente o cão eh o melhor amigo do homem!

Araceli Almeida disse...

Triste de quem nunca teve um cachorro na vida... Hoje fiquei sabendo que minha cadelinha de 14 anos morreu, estou estudando fora da minha cidade há 4 anos e nem tive a chance de me despedir. Quando alguém conhecido morre, temos um tipo de dor para cada pessoa, mas quando perdemos um amiguinho desses de 4 patas, compartilhamos todos do mesmo sofrimento... pois sabemos que eles foram o melhor que puderam ser, que deram sempre o máximo para nós.

cláudia disse...

Eu adorei de montão a post.
Estamos compartilhando a mesma dor.
Hoje faz dois meses que perdi meu Benge(Cocker Spaniel).Ele chegou no meu lar com 35 dias e passou 12 anos com minha familia. Eu te digo: Não tem nenhum dia que eu não feche os olhos e não sinta sua presença ao meu lado. UM AMIGO É PARA TODO SEMPRE